segunda-feira, 6 de julho de 2009

(Vi)ver-te


Foi bom viajar contigo,
Conhecer um pouco mais
Do teu mundo.
Estar ao teu abrigo,
Deixar os dias banais
E tocar no teu fundo.

É indescritível a tua presença
E tudo o resto que me cativa,
De um modo especial.
Não sei se é elogio ou ofensa
Por ti dar a vida,
Se sou uma simples mortal.


Sílvia Gonçalves

3 comentários:

Marta disse...

Não tens que me agradecer, aliás eu é que agradeço por partilhares os teus poemas com todos nós...:)

beijinho.

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Mortal, com prazeres e desprazeres. É assim a vida. Aliás, é entre pólos que nos desenvolvemos.

Um Beijo!

Tobias disse...

pode ser uma simples mortal.. mas dar a vida por alguém , acho que nao pode ser nenhuma ofensa , simplesmente, um grande elogio ..

e concordo , com o Luís Ferreira.. "Aliás, é entre pólos que nos desenvolvemos." nós crescemos, por a nossa vida ser vivida entre pólos, por momentos , estarmos bem , felizes a querer que tu seja feliz, e querer aproveitar tudo .. como podemos estar tristes, a querer ficar quietos no nosso sitio , sem nos mechermos.. mas e isso que nos faz crescer e é pena e que a faze ma da vida nos faz crecer.. e a presença das pessoas quando e indiscritivel , como tu descreves no texto e, incrivel o sentimento , que nos invade quando estamos na presença dessa pessoa, a parte ma disso e que nem sempre e possivel estarmos com essa pessoa, muitads vezes ate se emcontra bastante longe de nós.


(desculpa entusiasmeime um pouco)


Beijo