sexta-feira, 10 de julho de 2009

Pensamentos vãos



E se eu caísse do céu,
Ao tropeçar num astro
E aterrasse num ilhéu
Ou no cimo de um mastro?

E se perdesse a identidade
E tudo o que daí pode advir,
Pela força da gravidade,
Uma vez que estava a cair?

E se eu ganhasse asas
No momento da queda?
E pousasse em casas
Feitas de pedra?

E se eu parasse de sonhar,
Acordando para a realidade?
Certamente iria constatar
Que ganhar asas e voar
Não é próprio da humanidade.

Sílvia Gonçalves

1 comentário:

*_Clave de Sol_* disse...

"Ah e tal... tens que ver o meu novo poema..."

Confesso que por momentos tive medo de vir aqui... não pelo que escreves... mas pelo que escrevias hà uns 10 anos atrás ;P LOL

Pensei que ia ser uma daquelas relíquias, que eram bem bonitas naquela tenra idade!!

Mas afinal era a foto! Um dos membros brilhantes do agrupamento "Os Três Tristes Artistas"!!

E está brilhante a foto! e brilhante o poema! não fossem brilhantes as estrelas...

Hehehe! XD Gostei!