terça-feira, 1 de setembro de 2009

Coisas que acontecem


Pensei que os teus braços
Eram o meu refúgio
E que os teus passos
Traduziam o modo certo de andar.
Pensei que tudo que sonhavas
Era possível realizar.
Acreditei que se quisesses
Podias parar o vento,
Podias secar o mar
Com um doce movimento,
Com a força de um olhar.
Perdi-me no teu corpo.
Julguei ser esse o meu lugar.
Lugar infindável,
Feito para amar.
Nem chegaste a saber
Tudo aquilo que sou.
E apesar de sofrer
Não faz mal, já passou.


Sílvia Gonçalves

2 comentários:

*_Clave de Sol_* disse...

"E apesar de sofrer
Não faz mal, já passou."

Mt bonito este poema, como sempre! Mas deste eu gosto especialmente, traduz tão bem a realidade...

Tenho um prémio para ti no meu blog!

Bjinh*

sóniabeleza disse...

Que lindo . :')
Amei mesmo . «3
beijinhos