sábado, 6 de fevereiro de 2010

Mas como não detenho em mim o poder absoluto do controle, acordei. E aquilo que, inicialmente, eram simples formas e depois corpos revestidos a cera que se libertaram não passaram disso.
Já é cruel viver sonhos em detrimento da realidade mas não os poder findar agrava ainda mais a situação.
Para quê que sonho? Porquê que sonho? Para quem são dirigidos os meus sonhos?
Só incógnitas, nada mais que isso.


Continua…



Sílvia Gonçalves

1 comentário:

Luis disse...

Rosa, obrigado pelas palavras que deixaste no meu blog.
A verdade é que ainda não conhecia o teu, parece-me interessante!

Quanto aos sonhos, são dirigidos a uma pessoa: a ti. Pensa e verás neles parte de ti, se calhar até verás outras partes que ainda não conheces bem ou que reprimes na vida real. A maior parte dos sonhos têm razão de ser, claro que depois há uma pequena percentagem deles sem sentido que nunca iremos compreender. De qualquer forma, não ignores os teus sonhos, eles podem estar a tentar falar contigo! =)

bjnhs