quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Lição de vida nº1


Nem sempre as palmeiras se agitam com a força da brisa que corre. Por esse motivo e muitos mais, que não importam aqui deixar, ela partiu rumo ao deserto. Foi sozinha nessa jornada perigosa.
Caminhou dias a fio sobre areia delicada onde escreveu palavras efémeras.
De mochila às costas apeou-se por entre os cactos daquele solo arenoso na procura de algo mais vivo que ela, mais vivo que aqueles cactos transpirando verdura, mais vivo que o lagarto fugitivo que por lá passou.
Precisava de algo preso à vida que a fizesse sentir o sangue a correr nas veias e os poros a dilatar de pressão.
Não era aventura que ambicionava, não era diversão, não era loucura. Queria sentir a agitação suave da vida, o trémulo passar do tempo, os trilhos do destino.
Pouco lhe importava esbarrar contra um avião despenhado pois seguiria o seu caminho sem abrandar a marcha. De nada lhe serviria encontrar um poço repleto de água pois, se ele existisse, já estaria cercado de outras vidas. Nem só ela anda perdida pela vida.
Sentou-se para desenhar o sol a esconder-se nas dunas. Os seus dedos soavam tanto que deixou escorregar o lápis, o qual rebolou pelo chão por força da grande agitação do vento. Duas incongruências presenciadas: o sol tornar-se mais forte ao desaparecer e o vento soprar mais forte numa zona de baixa altitude. Era isto que ela queria - dificuldades. Pois só quem as vive é que vive realmente.
E ali, sem ser necessário encontrar algo mais vivo que ela, acabou por encontrar vida em si mesma. Por vezes, vamos tão longe procurar o que está guardado bem dentro de nós.

Sílvia Gonçalves

3 comentários:

Pedro Miguel disse...

Eu também quero experimentar as coisas, nem que seja só uma vez. Gostava de fazer de tudo, para quando for mais velho lembrar-me de cada coisa.

Escreveste bem:
"Queria sentir a agitação suave da vida, o trémulo passar do tempo, os trilhos do destino."

Carlinha :DD disse...

Se calhar talvez tenhas razão, e como falavamos tanto por tlm, pessoalmente não tinhamos assunto!! E agora estamos sempre a falar pessoalmente.
Ele é um pouco confuso [são todos :)], e não consigo perceber muito bem as emoçoes dele pessoalmente, só mesmo aquelas visiveis :)

Beijinho*

Carlinha :DD disse...

Acredita, ele deve mesmo saber esconder as suas emoções
Talvez por isso o adore tanto *.*